A Fetracom uniu esforços com a Central Única dos Trabalhadores para fazer oposição ao projeto de lei que põe fim à CLT e que vai à votação nesta terça-feira. Para tentar barrar o impiedoso retrocesso, a CUT Brasília e seus sindicatos filiados marcharão contra os assassinos de direitos. Nesse sentido, na manhã desta segunda (10), a Central se reuniu com sua militância para definir os passos da marcha.

A votação da medida ocorre em um momento de intenso ataque aos avanços sociais do povo brasileiro. No Congresso Nacional, como parte da agenda do golpe, tramitam vários projetos com viés entreguista, conservador e neoliberal. Por outro lado, tem sido intensa a pressão social para que os parlamentares não assassinem direitos conquistados em lutas históricas.

O presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, destacou que é fundamental a participação de todos os trabalhadores no ato. “Caso seja aprovada, a reforma trará consigo um retrocesso imensurável, que dificilmente será revertido. Além do mais, a medida desmonta o poder de atuação do maior instrumento de defesa do trabalhador, o sindicato. É essencial que estejamos juntos fazendo esse enfrentamento e defendendo nossas conquistas”, disse.

A votação do projeto está prevista para as 11h, no plenário do Senado Federal e a marcha acontece a partir das 10h, com concentração no Espaço do Servidor.

Fonte: CUT Brasília

Campartilhe.

Deixe Um Comentário

*